A Órfã

A órfã história realTítulo original: Orphan, 2009

A história do filme

Kate (Vera Farmiga) e John Coleman (Peter Sarsgaard) ficam arrasados devido a um trágico aborto. Apesar de já ter dois filhos, Daniel (Jimmy Bennett) e a surda muda Maxime (Aryana Engineer), o casal decide adotar uma criança. Durante uma visita a um orfanato, os dois se encantam pela pequena Esther (Isabelle Fuhrman) de nove anos e optam rapidamente por sua adoção. O que eles não sabiam é que estranhos acontecimentos fazem parte do histórico da menina que passa a se tornar, dia após dia, mais misteriosa. Intrigada, Kate desconfia que Esther não é quem aparenta ser, mas devido ao seu passado de alcoolismo tem dificuldades de provar sua teoria.

A história real

O enredo do filme e a história real em que ele foi baseado têm pouco em comum, mas o elemento que eles dividem é o mais interessante: uma mulher adulta que se passa por criança, é adotada por uma família e faz com que coisas horríveis aconteçam em sua nova casa. Nesse caso, porém, acho seguro afirmar que a história real é BEM MAIS assustadora que a do filme.

A história em questão ficou conhecida na mídia europeia como “O Caso de Kurim” (em referência à cidade localizada na República Checa). Esse incrível caso veio à tona em janeiro de 2008, quando um garoto de treze anos, que havia sido recentemente adotado por um casal na Noruega, fugiu de casa e, depois de alguns dias, foi encontrado vivendo da ajuda de famílias que se apiedavam da “pobre criança”. A surpresa é que o garoto não era realmente um garoto, mas uma mulher de 34 anos com uma rara doença glandular que lhe dava uma aparência infantil, Barbora Skrlova, que estava sendo procurada na República Checa por envolvimento em um caso misterioso de abuso infantil ocorrido pouco tempo antes, na cidade de Kurim. Ela foi então presa e transferida para o seu país e, graças ao testemunho dado pelos envolvidos (e às confissões dos criminosos), todo o mundo pôde conhecer um dos piores casos de abuso infantil dos últimos tempos.

skrlova

Barbora Skrlova sob as identidades de Annika e Adam

Tudo começou quando um morador instalou um sistema de “babá eletrônica” por vídeo no quarto de sua filha recém-nascida. Após a instalação ele ligou a televisão, mas nada podia prepará-lo para as imagens que viu: duas crianças algemadas, sem roupas e muito machucadas. O sujeito gravou o vídeo e chamou a polícia imediatamente, que descobriu que os sinais de vídeo vinham de um sistema idêntico na casa vizinha.

A policia invadiu a casa dos vizinhos e prendeu as duas moradoras, a mãe Klara Mauerova e sua irmã Katerina, e levou seus dois filhos Ondrej, 8, e Jakub, 10, sob proteção, juntamente com a filha recentemente adotada Annika, 13, que misteriosamente desapareceu pouco depois. A confissão desesperada da mãe revelou a história toda:

Klara era divorciada e tinha dois filhos. Cansada da solidão ela chamou sua irmã para morar com ela. Katerina, a irmã, estava na universidade, onde conheceu uma mulher chamada Barbora Skrlova, que se tornou amiga íntima das duas e as convenceu a entrar para um grupo místico chamado “the Grail Movement”. De personalidade extremamente manipuladora, Barbora logo tinha a família sob seu controle.

klara mauerova

Klara Mauerova levada a julgamento

Foi então que os abusos começaram, e segundo a Klara, ela mesma não entende como permitiu e participou de tais atrocidades. Os garotos foram presos em armários de metal, onde ficavam por tempo indefinido, sem roupas e de pé na própria sujeira. Eles apanhavam muito e eram abusados sexualmente. Além das irmãs, mais quatro pessoas participavam das torturas, Barbora estava entre elas. A tortura era conduzida por membros da ordem Grail Movement e guiadas por um misterioso integrante conhecido como “O Médico”, que apenas se comunicava por SMS. Isso tudo ocorreu por meses, até que elas decidiram instalar o sistema de vídeo para vigiar as crianças, que acabou sendo a causa de sua prisão.

Jakub também deu testemunho, mas seu irmão não resistiu aos maus tratos. As irmãs foram presas e condenadas a 9 e 10 anos para Klara e Katerina respectivamente. Os outros envolvidos: Hana Basova, Jan Skrla e Jan Turek, receberam sentenças de 7, 7 e 5 anos, respectivamente.

Barbora Skrlova, disfarçada de Annika, a filha adotiva de 13 anos, escapou e fugiu para a Noruega onde, semanas depois, foi encontrada sob a identidade do garoto de também 13 anos Adam, levada a julgamento e condenada. Ela é a filha do líder da secção tcheca do Grail Movement, que diz possuir membros pelo mundo todo e tem até pagina na Wikipédia em inglês. Com a ajuda de outros membros da ordem ela já havia assumido diversas identidades infantis, conseguindo enganar civis e autoridades, e chegando a ser oficialmente adotada como Adam, na Noruega, onde até chegou a cursar a escola primária com crianças de verdade.

Essa história é a prova de que a realidade pode ser muito mais chocante que a ficção. Infelizmente, nesse caso.

klara-mauerova-and-barbara-skrlova

Klara Mauerova, filhos Ondrej e Jakub e Annika, sob a identidade da pré adolescente Annika

 

Anúncios

Publicado em julho 5, 2014, em Suspense, Terror e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: