À Procura da Felicidade

a-procura-da-felicidadeTítulo original: The Pursuit of Happyness, 2006

A história do filme

Por seu filho, um homem vai tentar o impossível. Chris Garner, um vendedor de São Francisco vive no limite da linha da pobreza quando sua mulher Linda o abandona. Chris deve então criar sozinho o filho deles de 5 anos, Christopher. A determinação de Chris finalmente surte efeito quando ele arruma um estágio sem remuneração em um programa ultra-competitivo de analista financeiro, onde somente um em cada vinte candidatos consegue ser efetivado. Mas sem salário, Chris e seu filho são despejados do apartamento em que vivem e são forçados a dormir nas ruas, em abrigos comunitários e até mesmo em banheiros das estações de metrô.

A história real

Esse é um trecho do livro À Procura da Felicidade, de Chris Gardner:

“Há alguma chance de que, mesmo que seja um observador, você não tenha notado minha presença. Ou, se me viu, andando bem depressa e empurrando um frágil carrinho de bebê azul, meu único veículo e dentro do qual eu carrega a carga mais preciosa do universo – meu filho de 19 meses, Cris Jr., uma criança linda, esperta alerta, tagarela e esfomeada -, é pouco provável que você tenha suspeitado que éramos moradores de rua. Usando um dos meus dois ternos, o outro na sacola de roupas que eu carregava nos ombros, junto com a mochila, cheia de pertences mundanos (incluindo diferentes peças de roupas, objetos de higiene pessoal e poucos livros sem os quais eu não poderia viver), tentando segurar um guarda-chuva em uma das mãos, uma pasta na outra, e equilibrar debaixo do braço a maior caixa de fraldas Pampers do mundo e, ainda, manobrar o carrinho, provavelmente parecíamos mais como se estivéssemos saindo para um longo final de semana fora de casa. Alguns dos lugares onde dormíamos davam a entender que era isso mesmo – as estações de metro da Bay Area Rapid Transit, as salas de espera dos aeroportos de São Francisco ou de Oakland. E há também que levar em conta os ‘esconderijos’ onde ficávamos, que poderiam trair minha situação: no escritório, onde eu ficava trabalhando até mais tarde para que pudéssemos nos deitar no assoalho debaixo da minha mesa, ou, como de vez em quando acontecia, no banheiro público da estação BART, em Oakland.”

Ou seja, essa é mesmo a história real de um homem negro que nasceu pobre numa época racista, morou com o filho bebê nas ruas e acabou se tornando o presidente multimilionário da Gardner Rich & Company.

Chris nasceu em 1954. Conheceu o pai só depois de adulto e passou a infância apanhando do padrasto e, pior, vendo a mãe apanhar até quase a morte. Decidiu jovem que seria rico, mas nunca apostou em aparelhos médicos como no filme. Na verdade, ele realmente se interessava por medicina e saiu de casa para trabalhar no hospital da marinha. Lá, aprendeu muito pela prática, mas nunca teve condições de pagar uma faculdade.

“[…] naquela maravilhosa Ferrari 308, vermelha, conversível, circulando vagarosamente pelo estacionamento havia alguma coisa que me compeliu a ter com o motorista uma conversa que mudaria totalmente os rumos de minha vida. […]
Minhas perguntas são muito simples:
– O que você faz? Como você faz?
Dando uma risada, ele responde à primeira pergunta também de maneira muito simples:
– Sou corretor.
Mas para responder à segunda, combinamos um encontro algumas semanas depois.”

Foi assim que ele largou a medicina para entrar no mercado de ações, decidido a ganhar no mínimo os 80 mil por mês que o motorista da Ferrari ganhava. Mas quando estava para assumir seu primeiro emprego no ramo, passou dois meses na cadeia por multas de estacionamento. Ao sair, sua esposa tinha desaparecido com o filho, Cris Jr.

Ele manteve o emprego de corretor de ações e pagava para morar em uma pequena pensão. A esposa abandonou o filho com ele meses depois, e foi aí que Chris foi parar na rua – ou ele pagava aluguel, ou pagava uma creche para o filho ficar enquanto ia ao trabalho, escolheu pagar a creche. Eles dormiam em abrigos de igreja, estações de trem e banheiros públicos (sim, exatamente como no filme, apesar de o filho ser mais novo, 19 meses à época).

Chris foi crescendo no ramo, foi contratado por uma empresa maior, alugou uma casa.  Mais tarde, fundou a empresa de ações Gardner & Rich, que lhe rendeu uma fortuna de 600 milhões – e possibilitou que comprasse uma Ferrari (mais precisamente, a Ferrari do Michael Jordan). Hoje, vive entre Chicago e Nova Iorque, tem dois filhos e já ganhou diversos prêmios de filantropia. A primeira pessoa que ajudou com sua fortuna foi o Reverendo Cecil Williams, do abrigo para mendigos no qual passou várias noites e que é retratado no filme.

O livro À Procura da Felicidade custa entre R$ 10,00 e R$ 15,00. Clique aqui para comprar na Cultura.

Veja abaixo um vídeo de apenas 1 minutinho de Chris contando como foi finalmente conseguir um lugar para morar depois de quase um ano nas ruas:

LEGENDADO. Caso a leg não esteja ativa, clique no ícone ao lado da logo do Youtube.

Chris dá várias palestras motivacionais hoje em dia. Separamos o vídeo abaixo de um discurso que ele deu numa formatura na Universidade de Berkeley:

Anúncios

Publicado em março 1, 2014, em Drama e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: