Um Sonho Possível

The-Blind-Side-movie-posterTítulo original: The Blind Side [2009]

A História do Filme

Michael Oher (Quinton Aaron) era um jovem negro, filho de uma mãe viciada e não tinha onde morar. Com boa vocação para os esportes, um dia ele foi avistado pela família de Leigh Anne Tuohy (Sandra Bullock), andando em direção ao estádio da escola para poder dormir longe da chuva. Ao ser convidado para passar uma noite na casa dos milionários, Michael não tinha ideia que aquele dia iria mudar para sempre a sua vida, tornando-se mais tarde um astro do futebol americano.

A História Real

Essa história fantástica é real. Simples assim. Michael Oher tem 12 irmãos, é filho de uma mulher com problemas de álcool e drogas e um homem que foi morto na cadeia. A infância inteira ele foi jogado de escola em escola, de orfanato em orfanato. Passou por 11 escolas em nove anos. Quando conseguiu a bolsa de estudos na  Briarcrest Christian School, estava dormindo no sofá da casa de um mecânico de carros. Hoje, ele é um jogador da National Fotball League (NFL), e um dos preferidos do Super Bowl (o time dele foi campeão ano passado), o maior campeonato de futebol americano dos EUA – é o equivalente ao nosso Brasileirão.

O filme tem apenas duas falhas em relação à história real. Michael não foi para a casa dos Tuohy naquele primeiro dia, ele realmente estava andando no frio com roupas de verão e Anne realmente pediu para o marido voltar com o carro – mas eles apenas deram uma carona para Michael até o ginásio do colégio. Só mais tarde eles o convidaram para ficar na casa. E Oher sempre soube jogar futebol. E sempre foi muito bom – desde pequeno. Ninguém precisou lhe dizer nada sobre o time ser sua família e coisas hollywoodanas assim. Mas Oher realmente ama sua família adotiva, e confirma que nesse ponto o filme acertou em cheio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para contar o seu lado da história, Oher escreveu o livro I Beat the Odds: From Homelessness, to the Blind Side and Beyond. (Eu venci as probabilidades: de morador de rua, para o lado cego e além.) O livro não está disponível em português, mas nós do Baseado traduzimos um pedacinho bem legal dele para você. LEIA NO FINAL DO POST.

Também traduzimos o prefácio do livro escrito pelo casal Tuohy. Ele começa assim “A Teoria da Pipoca: Você não pode ajudar todo mundo. Mas pode tentar ajudar aqueles que pulam bem na sua cara.” LEIA NO FINAL DO POST.

OBS: O filme foi baseado em um terceiro livro, chamado The Blind Side, de Michael Lewis, que conta a história de Oher junto com a história do futebol americano.

E se ler não for muito sua praia, pode assistir o vídeo abaixo, com cenas de Michael jogando desde o colégio.

Trecho de I Beat the Odds, de Michael Oher:

Você não é pobre se sabe de onde vem sua próxima refeição.
Essa é uma das primeiras lições que eu aprendi na infância. A divisão é bem clara: existem pessoas que tem comida, e pessoas que precisam roubar comida. Na maior parte do tempo – bem mais do que na maior parte do tempo – eu estava no segundo grupo.
Eu penso nisso sempre, toda vez que sento para jantar em um restaurante legal ou abro a geladeira da minha casa, que está sempre cheia. Se eu passo por um mendigo na rua, tento ser bem generoso com a quantidade de moedas que deixo no seu copo de esmolas, porque eu sei o que é estar sentado no seu lugar.
É uma loucura hoje, conforme olho para minha carreira e as oportunidades que tenho, pensar em como eu estava vivendo alguns anos atrás. Eu tinha que implorar por tudo que precisava; agora eu tenho tudo o que poderia querer.
Mas antes do meu final feliz, existe uma história bem triste.
(I Beat the Odds, Michael Oher, Pág. 3)

Prólogo de In a Heartbeat, de Leigh Anne e Sean Tuohy:

Prólogo – A Teoria da Pipoca
“Todos começamos na mesma página e todos vamos acabar na mesma página” – Sean Tuohy
Depois de muitos anos lucrando e gastando, perdendo dinheiro, e depois ficando ricos, e depois quase falindo de novo, e tirando dinheiro e pagando contas, e – vamos encarar – esperando morrer em meio à boa vida, nós aprendemos que é melhor dar do que receber. Alguns chamam isso de filantropia. Mas nós não somos o tipo chique. Nós não temos esse cacife todo e nossa casa é tão formal quanto um caixote de areia. Então nós chamamos isso de a Teoria da Pipoca.
A lógica é esse: “Você não pode ajudar todo mundo. Mas pode tentar ajudar aqueles que pulam bem na sua cara.”
A Teoria da Pipoca é sobre enxergar os outros. Começa com o reconhecimento de que aquele cara andando na calçada é seu parente, mesmo que ele não pareça fazer parte da sua comunidade e que, com 1,93m e 140Kg, ele seja a maior pipoca que você já viu. A teoria é sobre reconhecer o potencial e o valor desse cara. É sobre olhar para ele de verdade, e não olhar através dele.
“Assim como com as pipocas, você não sabe quais vão estourar”, Sean gosta de dizer, “mas elas vão aparecer. Não é difícil percebê-las”.
E naquele primeiro dia quase passamos reto por ele.
Era uma manhã fria de novembro de 2002, um dia antes de Ação de Graças. Uma neve fina tinha acabado de cair, o que em Memphis, Tennessee, é considerado uma nevasca. O gelo pingava dos telhados e o céu estava escuro.
Estavamos indo tomar café-da-manhã fora de casa. Ele estava arrastando os pés na calçada, vestindo nada além de uma camisa e um short, seus braços cruzados apertados, sua respiração visível no frio.
Nós vimos ele, rapidamente. Então fizemos o que é mais fácil para todos nós. Honestamente – de verdade – nós continuamos dirigindo e passamos por ele. Passamos pelas poças de neve e pela calçada rachada de gelo.
Mas, conforme o deixamos para trás, um pensamento atingiu Leigh Anne. Tão breve quanto o vento, tão distinto quanto o sussurro dos pássaros.
“Dá a volta”, Leigh Anne disse.
E com isso, nossas vidas mudaram num piscar de olhos.
(Leigh Anne e Sean, In a Heartbeat, pag 1 e 2)

Anúncios

Publicado em fevereiro 5, 2014, em Drama e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Esse filme é muito bom! A história é emocionante, e sabendo que (quase) tudo foi real, fica ainda melhor.
    Amei o blog! Os posts são incríveis e com conteúdo de qualidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: