O Impossível

Título original: Lo impossible [2012]

A história do filme

impossivel_3O casal Maria (Naomi Watts) e Henry (Ewan McGregor) está aproveitando as férias de inverno na Tailândia junto com os três filhos pequenos. Mas na manhã de 26 de dezembro de 2004, enquanto curtiam aquele paraíso após uma linda noite de Natal, um tsunami de proporções devastadoras atinge o local, arrastando tudo o que encontra pela frente. Separados em dois grupos, a mãe e o filho mais velho vão enfrentar situações desesperadoras para se manterem vivos, enquanto em algum outro lugar, o pai e as duas crianças menores não têm a menor ideia se os outros dois estão vivos. É quando eles começam a viver uma trágica lição de vida, movida pela esperança do reencontro e misturando os mais diversos sentimentos.

A história real

Maria, Simon, Enrique, Lucas e Tomas na estréia do filme

Maria, Simon, Enrique, Lucas e Tomas na estréia do filme

O roteirista Sergio G. Sánchez trabalhou o tempo todo em contato com a família, especialmente a mãe, Maria Belon. Então o filme é bastante fiel aos fatos. A mãe, por sinal, ficou bastante amiga da atriz Naomi Wattz e ficou na Indonésia durante as filmagens, que foram feitas no mesmo local do desastre.

Com ondas de dez metros, o tsunami de 2004 matou mais de 284.000 pessoas. Em 2011, um outro tsunami no Japão matou 15.878 pessoas e outras 2.713 ficaram desaparecidas. É difícil prever um tsunami, mas sobreviventes relatam que minutos antes da onda o mar recua e dá para escutar um som de sugamento.

A família sobrevivente é composta por Enrique, Maria, Tomas, Lucas e Simon, e são de origem espanhola, mas já moraram desde o México até o Japão. No dia do tsunami, estavam de viagem na Indonésia, se separaram durante a onda e conseguiram se reencontrar. Maria ficou submersa na água por três minutos: “Eu podia sentir que estava sendo jogada contra paredes. Eu sentia elas tremendo e quebrando.” Hoje, estão todos bem, sendo que Maria amputou parte da perna e os três filhos escolheram carreiras que ajudam as pessoas.

Como o filme é extremamente real e não tem muito o que postar, vamos dar voz à Maria: segue abaixo uma excelente entrevista com elafeita pela reporter Angela Dawson do Front Row Features (link).

Maria e Lucas

Maria e Lucas

FRF: O filme é preciso?
Belon: Sim. Eles tiveram pouca licensa dramática. Na verdade, foi até muito pior do que eles mostraram. Eu disse a Juan Antonio que não queria que eles inventassem nada.

FRF: Você se sente culpada por ter sobrevivido?
Belon: Não, não é culpa. É dor. É algo que vai permanecer comigo a minha vida toda.

FRF: Como estão seus filhos, eles se recuperaram?
Belon: Eles são incrivelmente valentes. Eles são mestres. Eles que me guiam hoje. Lucas está estudando para ser médico em Londres. Tomas quer fazer serviços comunitários, ele já tem uma bolsa para a faculdade. Está em Wales agora, trabalhando de salva-vidas. O diretor da escola me chamou para perguntar porque ele era tão valente, e eu respondi “Não sei”. O Simon sempre me pergunta qual a melhor profissão para ajudar as pessoas.

FRF: Você já era forte antes do incidente?
Belon: Eu sou muito forte, mas também muito fraca. O que define isso são as decisões que você toma, não quem você é.

FRF: Você viu o filme?
Belon: Várias vezes.

FRF: Foi difícil da primeira vez?
Belon: Pela dor física pela qual passamos, não, mas foi muito difícil ver pelo que os outros passaram.

FRF: No filme, sua personagem está disposta a desistir da vida no hospital. Você se sentiu assim? Estava pronta para desistir?
Belon: Sim. Mas meu marido não me deixou. Eu tive sorte por ele não estar disposto a me deixar.

FRF: Quanto tempo durou sua recuperação?
Belon: Fisicamente? Dois anos e meio.

FRF: Foi difícil assistir o que aconteceu no Japão em 2011?
Belon: (engasgando) Foi muito difícil assistir porque eu não vejo números, eu vejo pessoas se afogando. É muito difícil.

FRF: Que idéias específicas você deu a Juan Antonio (diretor)?
Belon: Eu disse a ele que queria por a audiencia embaixo d’água, fazer com que se sentissem debaixo da onda, para que quando voltassem à superfície, nada precisasse ser dito.

FRF: Você pensa muito nisso?
Belon: Não, eu não penso muito no que aconteceu, mas eu sinto muito isso.

FRF: Você tem um elo especial com seu filho mais velho, pelo que vocês passaram juntos?
Belon: Temos uma ligação muito muito especial. Não precisamos falar que nos amamos. Não usamos muitas palavras, mas nos abraçamos muito quando nos vemos.

FRF: Você se recuperou do ferimento na perna?
Belon: Não. Tenho apenas metade da perna, mas é a perna mais bonita da Terra. Meu corpo inteiro é cheio de cicatrizes, mas eu acho ele lindo.

FRF: Ver sua história se tranformar em um filme foi terapêutico?
Belon: Eu não preciso ser curada. Eu não quero esquecer o que aconteceu porque estar próxima daquilo é ótimo. A onda deixou bem claro para mim o que é estar viva.

FRF: Você teve a chance de agradecer o homem que te salvou?
Belon: Eu tentei, mas foi impossível achá-lo. Eu aprendi com ele o que é generosidade.

FRF: Hoje em dia, você tem medo de alguma coisa?
Belon: Não.

Tsunami de 2004

O tsunami de 2004 foi gerado por um terremoto de magnitude 9.3 em Sumatra

Anúncios

Publicado em janeiro 23, 2013, em Drama e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 20 Comentários.

  1. Esse filme é fantástico. Tenso!!! Realmente me senti dentro da onda que matou muitas pessoas. A História é incrível. Coisa que a gente não acredita ser possível.

  2. Você sentia o ferimento da perna enquanto você andava à procura de um lugar seguro com seu filho ?

  3. EMOÇÃO DO COMEÇO AO FIM.ESSA FAMÍLIA É FORTE E ABENÇOADA!!

  4. vi o filme nesse final de semana, e sinceramente…me fez chorar…

  5. Eu estou com os olhos deformados de tanto chorar. Que exemplo dessa família e a certeza de serem abençoados. Muito bem feito, muito real, muita aflição. Emocionante.

  6. Que ideia legal desse blog. Adorei. Pena que pararam de postar.

  7. O. Lucas. E as. Familia. Sobreviverao. O. Lucas. E. Gostoso. E. Lindo

  8. Esse filme é incrível, não consigo me imaginar nenhum um minuto nessa situação! Deus é fiel.

  9. Fiquei tensa do inicio ao fim…lagrimas nem se fala…esse filme nos ensina muita coisa e uma delas a expressar tds os dias o quanto amamos nossa família…pois nao sabemos do amanha…

  10. Quando assisto esse filme parece q eu estou lá junto com eles .. esse filme me emociona mto

  11. jarde palmeira

    Dos filmes que já assisti esse foi o uqe mais me emocionou,que deus continue abençoando
    essa família.

  12. todos falam ke em 2012,2014,2016,avera um tsunami nu mundo mas e so lemda o nosso fim sera uma morte cuauker.esse filme e um tsunami de emosoens e choro,felisidade,tudo tudo:)

  13. adoro esse filme pois e muito emocionante chorei muito mas Deus agiu sobre aquelas pessoas :3

  14. Assisti cinco vezes e chorei intensamente as cinco, uma história linda de um milagre que é só por Deus mesmo, o reencontro,a familia unida…

  15. claudio ney silva da costa

    O filme e maravilhoso gostei de mais,que até chorei.

  16. O filme é muito forte e intenso. Já assisti várias vezes e sempre me emociono muito. Esse filme desperta o que há de melhor em quem o assiste.

  17. demais , Deus ama essa familia , tremendo , o que é impossivel para o homem é possivel para Deus

  18. Muito bom, não poderia deixar de comentar, o filme mais emocionante para mim nunca tinha chorado antes por um filme. Me ensinou que temos que viver debaixo da mão poderosa de Jesus. E está família foi protegida por Deus. Gloria a Deus por esse filme.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: