Intocáveis

Título original: The Intouchables [2011]

A história do filme

Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático. De início, eles enfrentam vários problemas, já que ambos têm temperamento forte, mas aos poucos passam a aprender um com o outro.

A história real

Correr da polícia para se divertir e ainda conseguir uma escolta em vez de multa parece exagero de filme. Mas dessa vez não é. Na verdade, Driss chama Abdel, e não é um ex-presidiário imigrante do Senegal, é um ex-presidiário imigrante da Argélia. De resto, o filme foi bastante fiel à história. A perseguição do começo é real, um dos passatempos de Abdel era disparar o Rolls-Royce de Phillipe pelas ruas de Paris. Quando foi pego pela polícia, falou que o tetraplégico estava tendo um ataque e conseguiu a tal escolta.

Abdel Sellou realmente foi à entrevista de emprego para conseguir uma assinatura e continuar recebendo o equivalente a um seguro-desemprego francês. Phillipe Pozzo di Borgo realmente o contratou porque o argeliano não tinha o mínimo de dó nem compaixão. Eles são amigos há dez anos e ambos são casados, Philippe com uma muçulmana do Marrocos e Abdel com uma argeliana, que vive com os filhos na Argélia onde ele passa boa parte do tempo.

Philippe e Abdel. Foto: Stefan Nimmesgern – The Telegraph

Philippe conta que recebeu uma visita da equipe de filmagem e pode até ajudar com o roteiro. Algumas coisas, é claro, foram inventadas, como a cena do bigode de Hitler e a cena em que Driss/Abdel joga água fervendo nas pernas dele para ver se ele sente alguma coisa. Mas ele admite que as duas são a cara de Abdel, bem coisas que ele faria na vida real mesmo.

Abdel não gosta nada de arte moderna, mas gosta muito de mulheres. Diz que agora, casado, está mais comportado, mas continua fazendo brincadeiras e piadas. Em relação à música, os dois acabaram se entendo: Abdel aprecia alguns clássicos e Philippe, com 61 anos, ouve um pouco de pop.

A primeira esposa de Philippe (com quem, parece, ele não tem uma filha) morreu de câncer três anos depois de seu acidente com parapente. Ele ficou desolado, até tentou se matar enrolando um tubo de oxigênio no pescoço. Mas diz que o principal motivo para a tentativa, na verdade, foram as dores físicas recorrentes do acidente. “Dor fantasma o caral-. É muito real. É uma dor neurológica, corrosiva. Eu choro porque estou com dor, não porque estou triste.”

Ele realmente acorda gemendo durante a noite. Abdel tentou aliviar com um baseado, mas Philippe dormia por duas horas e voltava tudo de novo. Foi nessas noites de insônia dolorida que ele escreveu (na verdade, ditou para um gravador) um livro de memórias: O Segundo Suspiro. O livro já foi traduzido para o português, confira aqui o link na livraria Cultura (é 25 reais).

Além do livro, a história de Philippe era famosa antes do filme graças a um documentário, A la vie, A la mort. O trailer pode ser visto aqui, infelizmente só em francês.

Anúncios

Publicado em novembro 15, 2012, em Comédia, Drama e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Mas, e o quadro? Ele realmente pintou e realmente foi vendido por aqueles bons milhões??

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: